Economia

Abertura do Comércio: Sindcomércio faz Carta Aberta à população de T. Otôni

Publicado em
Lojas continuam fechadas

Tendo em vista a determinação da Prefeitura Municipal de, diante do Coronavírus, manter fechadas as lojas que não se encontram na faixa de serviços essenciais, o Sindcomércio Teófilo Otôni e outras duas entidades representativas dos empresários fizeram uma Carta Aberta à População. Veja-a, na íntegra:

“CARTA ABERTA

à população de Teófilo Otoni

1) Em primeiro lugar, reiteramos nossa preocupação e o firme compromisso com a vida e segurança de nossa população, clientes e colaboradores. No entanto, entendemos que uma iminente e inevitável onda de demissões e fechamento de pequenos negócios pode agravar ainda mais a crise pela qual estamos passando; afinal, não há como tratar saúde e economia como assuntos distintos. Não se engane, um não existe sem o outro.

2) Reforçamos nosso posicionamento a favor da adoção do isolamento vertical como forma de enfrentamento à pandemia e pela reabertura gradativa e organizada do comércio. Se protegermos as pessoas queridas que se enquadram nos grupos de risco, poderemos retornar a nossas atividades de forma segura, respeitando às normas de saúde, respeitando o direito ao trabalho e, principalmente, respeitando o direito a uma vida digna.

3) O isolamento social, atualmente imposto por decreto municipal, não tem se mostrado eficiente ou eficaz. As empresas estão fechadas, mas o movimento de pessoas nas ruas pouco ou nada diminuiu desde então.

Nossa cidade não contabilizou até o momento qualquer caso confirmado de contaminação por Coronavírus, ainda que não esteja havendo de fato o isolamento proposto. Há um alto nível de aglomeração de pessoas (grande parte pertencente aos grupos de riscos) em ambientes como bancos, casas lotéricas, transporte público, supermercados e similares.

4) Atenção! Mais de 80% dos postos de trabalho de nossa cidade provêm do comércio. Nove em cada dez empresas NÃO possuem estrutura para continuar com suas portas fechadas de forma indefinida, como vem acontecendo. De acordo com dados do SEBRAE, 600 mil micro e pequenas empresas já fecharam suas portas definitivamente, e 9 milhões de empregados já foram demitidos no Brasil. Isto já está acontecendo em nossa cidade. Não é achismo, é FATO!

5) A percepção de que o seguro desemprego ou os auxílios anunciados pelo Governo Federal oferecem alguma segurança cairá por terra quando, ao fim da pandemia, não existirem mais postos de trabalho a serem ocupados. Não se engane, pois várias empresas serão fechadas e não voltarão a abrir. Pense nisto!

6) Ao contrário de alguns posicionamentos que estão sendo expostos em mídias sociais, as entidades que assinam este documento não possuem QUALQUER envolvimento político-partidário, independente de qual seja. Sempre pautamos nossas ações pelo bom relacionamento com o poder público, independentemente de bandeira ou ideologia partidária, seja ele municipal, estadual ou federal.

7) Não apoiamos ou permitiremos associação de posicionamentos de cunho político-partidário ou eleitoral em quaisquer ações em que estejamos envolvidos. Isto não está aberto a discussões. Que fique claro!

8) Temos feito reiterados alertas ao Executivo Municipal com relação ao risco que corremos de fechamento de empresas e demissões em massa em nossa cidade. Nunca nos furtamos em oferecer o suporte e apoio necessários aos nossos governantes nesta hora de crise; porém, deve ficar claro que neste momento o poder de decisão pela reabertura do comércio está unicamente nas mãos do Executivo Municipal, independentemente do posicionamento dos governos do Estado e Federação.

9) Recebemos por parte do Executivo Municipal um indicativo de reabertura do comércio para o dia 15/04/2020 e, posteriormente, um recuo em relação ao assunto, com nova previsão estipulada para o dia 23/04/2020. Nosso sentimento é de total insegurança e desesperança com as novas projeções. Precisamos de um norte; sentimo-nos desamparados e sem perspectivas.

E, por fim, é preciso deixar claro: Neste momento, não existe a separação entre empregados e empregadores. O que existe é um sério risco de que todos estejam, em muito pouco tempo, enfrentando as mesmas consequências de uma crise econômica sem precedentes em nossa cidade que, certamente, pode ser evitada ou atenuada com medidas adequadas para a nossa realidade.

Teófilo Otoni, 16 de Abril de 2020.

Assinam a nota o Sindcomércio Teófilo Otôni e outras duas entidades do Comércio. (Fonte: Sindcomércio Teófilo Otôni – Foto: Agência Brasil/Reprodução)

Clique para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Visitadas

Topo