Saúde e Beleza

Alisante causa danos; fabricante terá que indenizar mulher

Publicado em
Consumidora aplicou produto no cabelo, mas teve que retirá-lo em pouco tempo, devido a reação adversa

Uma indenização de  R﹩ 10 mil por danos morais e R﹩ 10 mil por danos estéticos deverá ser paga a uma mulher que perdeu parte do cabelo devido ao uso de um produto de beleza. Ela conseguiu modificar em parte a decisão da comarca de Itamonte, para que os juros sobre ambos os valores sejam cobrados a partir da citação, e não da sentença.

A mulher utilizou um creme alisante, em outubro de 2014. Na primeira aplicação, depois de cinco minutos, o produto causou a queda de grande quantidade de fios, além de danificar o resto dos cabelos, deixando-os quebradiços, alterando sua cor natural e reduzindo substancialmente seu comprimento.

O caso foi levado à justiça, e o juiz Fábio Roberto Caruso de Carvalho condenou a fabricante do alisante a pagar R﹩ 20 mil à cliente por danos morais e estéticos, com juros cobrados a partir da sentença, de fevereiro de 2020. Ambas as partes recorreram.

A 14ª Câmara Cível do Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) manteve a condenação, alterando apenas a data de incidência dos juros, por se tratar de responsabilidade civil contratual. Os desembargadores Valdez Leite Machado, Evangelina Castilho Duarte e Cláudia Maia foram unânimes.

Segundo o desembargador Valdez Leite Machado, a dispensa da perícia pela empresa e a falta de provas quanto à qualidade do produto levavam a concluir que as alegações da consumidora eram verdadeiras.

O relator também destacou que a queda capilar drástica causou angústia e sofrimento, afetando a aparência da mulher de forma duradoura e sua autoestima. (Fonte e foto: TJMG)

Clique para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Visitadas

Topo