Brasil

Autistas: direito a atendimento ilimitado por planos de saúde

Publicado em
Criança autista

Uma decisão liminar da Justiça Federal de São Paulo sobre os planos de saúde no estado pode virar norma na justiça de outras unidades da federação. No Acre e em Goiás, ações semelhantes já foram ajuizadas. Os planos devem garantir consultas ilimitadas e sessões de tratamento para pessoas com Transtorno do Espectro Autista (TEA). Os convênios devem cobrir atendimentos de fisioterapia, fonoaudiologia, terapia ocupacional e psicoterapia que forem indicadas aos pacientes, tanto quanto forem necessários. Até então, as consultas estavam limitadas à quantidade anual prevista em norma da Agência Nacional de Saúde Suplementar (ANS).

Ainda sem data definida para entrar em pauta, o tema está nas mãos do ministro Alexandre de Moraes (RE1.101.937-SP) no Supremo Tribunal Federal (STF),

A ação civil pública em São Paulo foi instaurada pelo Ministério Público Federal (MPF), contra a ANS, em fevereiro deste ano, questionando a Resolução Normativa 428/2017 que, ao impor limites aos tratamentos, trazia prejuízos à saúde das pessoas com TEA.

“A decisão vem em boa hora, ainda mais depois de mudanças da ANS que determinaram que o Rol de Procedimentos seja taxativo, isto é, apenas o que constar nele deverá ser ofertado ao consumidor. Várias decisões já trazem entendimento de que o rol de procedimentos da ANS é exemplificativo e que as operadoras devem disponibilizar o procedimento necessário para o tratamento adequado” – destaca a advogada Diana Serpe, especialista na matéria e criadora do canal Autismo e Direito, com perfis nas redes sociais. “Para a eficácia do tratamento de uma pessoa com TEA, é necessário o tratamento intensivo, com profissionais especializados. Limitar as sessões compromete os avanços e a qualidade de vida dela” – explica.  (Fonte: M2 Comunicação – Foto: Freepik)

Clique para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Visitadas

Topo