Saúde e Beleza

Brasil já vacinou 60% da população contra Covid-19

Publicado em

São mais de 96 milhões de pessoas, das 160 milhões com mais de 18 anos, que receberam a primeira dose do imunizante em todo o país

O Brasil ultrapassou, ontem (26/07/21), a marca de 60% da população vacinada contra o Covid-19. São mais de 96 milhões de brasileiros, dos 160 milhões com mais de 18 anos, que receberam a primeira dose do imunizante em todo o país.

Além disso, 35,9 milhões de pessoas tomaram a segunda dose ou a dose única, e já estão com o ciclo de imunização completo. O número reforça o compromisso assumido pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, e pelo ministro de Saúde, Marcelo Queiroga, de acelerar a vacinação no Brasil, prioridade número um do Governo Federal no enfrentamento da pandemia.

Do total de 164,4 milhões de doses enviadas para os estados, 81,5 milhões são da AstraZeneca/Oxford, 60,4 milhões são da Coronavac/Sinovac, 17,8 milhões de Pfizer/BioNTech e 4,7 milhões da Janssen, imunizante de dose única. Todas as vacinas estão devidamente testadas, são seguras e têm autorização da Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) para serem aplicadas nos braços dos brasileiros.

Para reforçar ainda mais o processo de vacinação contra o Covid-19, o Governo Federal já contratou mais de 600 milhões de doses de vacinas, por meio de acordos com diferentes laboratórios, a serem entregues até o fim do ano. Somente para o mês de agosto, a previsão é de que sejam entregues à Pasta pelo menos 63 milhões de doses.

CAMPANHA PELA SEGUNDA DOSE

O Ministério de Saúde também está a todo vapor para incentivar a população sobre a importância de concluir a imunização com a segunda dose. Para que as vacinas sejam de fato eficazes, é necessário que as pessoas tomem as duas doses. A medida reforça o sistema imunológico e reduz as chances de infecção grave, gravíssima e, principalmente, óbitos em decorrência do Covid-19.

VACINA NACIONAL

O Brasil assinou um acordo de transferência de tecnologia da AstraZeneca para a Fundação Oswaldo Cruz (FioCruz) que permitirá a produção nacional do Insumo Farmacêutico Ativo (IFA) da vacina de Covid-19. Hoje, o Brasil só produz vacina com o IFA importado. Por isso, a medida é essencial para a produção de imunizantes no País. A expectativa é que as primeiras doses 100% nacionais sejam entregues em outubro. (Fonte e foto: Ministério de Saúde)

Clique para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Visitadas

Topo