Brasil

Deputada do PT preocupada com homoafetividade

Publicado em
Natália Bonavides

No meio de milhares de coisas importantes para a população brasileira, o PT, mais uma vez, vem tomar o tempo da Câmara Federal com assuntos de somenos importância. Desta vez, a iniciativa surpreendente é da deputada federal Natália Bonavides, do PT do Rio Grande do Norte. Ela apresentou projeto de lei visando a modificar o Código Civil, substituindo, em celebrações de casamento em cartório, a expressão “vos declaro marido e mulher” por “declaro firmado o casamento”. Segundo a parlamentar, que parece não ter o que fazer de importante, a medida busca “garantir respeito à diversidade”.

Vejam a justificativa da deputada em seu projeto de lei: “Sem a adequação da cerimônia, casais homoafetivos têm sido submetidos a constrangimentos que são verdadeiras violações de direitos. Por isso, é urgente que o Código Civil seja modificado no sentido de assegurar a igualdade de tratamento para a diversidade de casais.”

Ora, se dois homens não têm vergonha em se casar, por que o constrangimento em declarar quem é o marido e quem a mulher?

Os eleitores do Rio Grande do Norte que votaram em Natália Bonavides estão em débito com a seriedade do Brasil.

Se, pelo menos, falasse em “dupla”… Mas, não, fala em “casais”, que só podem existir com homens e mulheres. Homem com homem não resulta em casal. No Dicionário Escolar da Língua Portuguesa, de Francisco da Silveira Bueno – Ministério de Educação e Cultura – consta: Casal, s.m. …par, composto de macho e fêmea, ou marido e mulher.”

PROCESSANDO RATINHO

Agora, a parlamentar petista ameaça processar o apresentador Ratinho, o Carlos Roberto Massa, que, ontem (15/12/21), em seu programa radiofônico, criticou o projeto.

“A gente tinha que eliminar esses loucos. Não dá para pegar uma metralhadora?” – afirmou e questionou o apresentador. E comentou: “Vá lavar roupa, costurar a calça do seu marido, lavar a cueca dele.”  

Natália Bonavides foi às redes sociais e disse: “O apresentador Ratinho sugeriu que eu fosse metralhada, em programa visto por milhares de pessoas. Incitar homicídio é crime! Ele coloca a minha vida e minha integridade física em risco.”

Claro que isso não é verdade. Ratinho não sugeriu que se matasse a deputada. Ele usou de uma figura de linguagem, com vistas robustecer sua fala. Mas, a Esquerda se aproveita de tudo para fazer alarde, para fazer xilique.

Esqueceu-se de dizer que Ratinho sugeriu, também, que ela fosse trabalhar.

E intimidou: “Essas ameaças e ataques covardes não ficarão impunes. O apresentador utilizou uma concessão pública para cometer crime. Vamos acioná-lo judicialmente, inclusive criminalmente.”

É muita falta de serviço na Câmara Federal. E ainda quer dar trabalho para o Judiciário. Tempo, dinheiro e voto perdidos… (Foto: PT)

Clique para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Visitadas

Topo