Economia

EDITORIAL – Congelamento de aposentadorias é covardia ímpar

Publicado em
O opaco trocado do aposentado pode ficar ainda mais mísero

Um dia após ter fantasiosamente vetado o perdão do débito fiscal de R$ 1 bilhão das igreja, o governo Bolsonaro, por meio do ministro Paulo Guedes, volta a atacar com outra inacreditável medida. A equipe econômica pretende congelar, por dois anos, os benefícios previdenciários, como aposentadorias e pensões.

Apesar de não fazer diferença alguma, já que o congelamento atingiria a não concessão de um percentual ínfimo (um aumento miserável que sequer chega a ser aumento), a medida é de uma covardia ímpar.

Além de tirar de quem já nada tem ou recebe, a proposta do governo recai sobre todas as aposentadorias, inclusive as miseráveis, que vão de um a cinco salários mínimos. Depois, o dinheiro subtraído aos aposentados miseráveis se destinará a bancar o programa Renda Brasil, que beneficia os que não trabalham e nunca contribuiram com a Previdência Social (e que Previdência…).

Apesar de Bolsonaro já ter dito que não tiraria dos pobres para dar aos paupérrimos, seria bom os aposentados miseráveis ficarem de antena ligada, porque de político não se pode esperar algo que preste, a não ser para parentes e companheiros.

Por que Paulo Guedes não propõe bancar o Renda Brasil com impostos a serem cobrados das grandes fortunas?Não tem coragem de enfrentar os fortes? (Foto: Reprodução)

Clique para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Visitadas

Topo