Editorial

EDITORIAL – Esquerdistas genocidas

Publicado em
Um sentimento religioso cada dia a mais desrespeitado pelos esquerdistas genocidas

Incentivados pelas TVs Globo e CNN, os esquerdistas brasileiros vêm batendo na tecla de que o presidente Jair Bolsonaro é um “genocida“, diante das milhares de mortes provocadas pelo Novo Coronavírus. O objetivo dos dois canais de TV é fazer retornar os governos dos ex-presidentes Lula e Dilma Roussef, ambos de tristes memórias.

À Globo, as administrações anteriores garantiriam o retorno de altos faturamentos junto aos cofres públicos. À CNN, isso pode interessar um pouco menos, pois que é financeiramente sólida, o que não acontece com a Globo. Talvez, no caso da rede norte americana, haja um conteúdo ideológico comunista ao lado do financeiro.

Com os incentivos desses dois canais de TV, muitos brasileiros, ignorando o significado do termo, repetem-no constantemente, numa clara demonstração de que a lavagem cerebral foi exitosa.

As mortes por Coronavírus acontecem em todo o mundo. Então, todos os governos do mundo seriam “genocidas”. Esta não seria uma marca exclusiva de Bolsonaro.

Mas, resta saber o que realmente é um “genocídio”:

“s.m. Recusa do direito de existência a grupos humanos inteiros, pela exterminação de seus indivíduos, desintegração de suas instituições políticas, sociais, culturais, linguísticas e de seus sentimentos nacionais e religiosos. Ex.: perseguição hitlertista aos judeus, segregação racial etc.” (Dicionário Escolar da Língua Portuguesa – Francisco da Silveira Bueno – Ministério da Educação e Cultura – FENAME – Fundação Nacional de Material Escolar).

Com base no exposto pelo grande dicionarista, percebe-se que o termo “genocida” não se adapta ao presidente Jair Bolsonaro, posto que as mortes por Coronavírus não ocorrem em apenas determinados grupos, mas em toda a população.

Sob o ângulo de ordem moral, referente a desintegração de instituições políticas, sociais, culturais, linguísticas e sentimentos nacionais e religiosos, percebe-se que quem a pratica são extamente os que acusam Bolsonaro, invertendo totalmente a realidade.

Queiram ou não, os verdadeiros “genocidas” são os acusadores do presidente. Estes, sim, merecem e precisam ser devidamente rotulados. (Foto: Freepik)

Clique para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Visitadas

Topo