Política

Filipe Costa defende independência política

Publicado em
Filipe Costa

O vereador Filipe Costa, presidente da Câmara Municipal e possível pré-candidato a prefeito de Teófilo Otôni, concedeu entrevista ao radialista Aníbal Gonçalves, programa Encontro Marcado, da Rádio 98 FM, ontem (20/01/20). Segundo informou o radialista, Filipe é pós-graduado em Gestão Pública Municipal e advogado, eleito aos 27 anos de idade para seu primeiro mandato, passando a ocupar a presidência da Comissão de Saúde da Câmara Municipal. Também presta serviço à Superintendência Estadual de Saúde de Minas Gerais.

O parlamentar municipal afirmou que nunca havia atuado na política, mas que, por sua família ter algumas raízes no setor, foi candidato. “Nunca fui vereador de estar colado em prefeito, de estar levando vantagens do Executivo” – afirmou, para demonstrar sua independência em relação à linha de atuação, inclusive a respeito de empregos na Prefeitura.

Filipe Costa acrecentou que vê o mandato como um meio para contribuir com políticas públicas para melhorar a sociedade. E lembrou que o vereador é limitado. “O vereador que promete obras está equivocado”, pois ele é fiscal das ações das autoridades municipais do Executivo.

“Não sou adepto nem vinculado a projeto de poder!” – afirmou, para lembrar que política é passageira. “Não vendo a minha alma. Não vou vender o meu caráter!” E esclareceu que não é candidato à reeleição. Não negou, contudo, a possibilidade de se candidatar a prefeito de Teófilo Otôni.

Sobre a ausência do vereador na zona rural, Filipe Costa disse que cada parlamentar tem o seu perfil. Toda semana, contudo, segundo afirmou, se dirige à zona rural. Infelizmente, segundo disse, a gestão municipal não acolhe tal trabalho.

Para o presidente da Câmara, Teófilo Otôni tem uma riqueza enorme, que é a atividade rural, com uma grande bacia leiteira, fruticulura, horticultura, floricultura etc., mas que a Secretaria Municipal de Agropecuária não dá oportunidade ao homem do campo. Para ele, não há formação de mão de obra pelo SENAR, que deveria ser aproveitado. Lembrou, ainda, a necessidade de convênios com o 3º setor, mas que a atual gestão não ampara essa visão.

Sobre o orçamento municipal, Filipe Costa disse que é lastimável, pois lhe falta técnica na formulação, e a maior parte é destinada a custeio da máquina, restando quase nada para os empreendimentos. Assim, “não investimos”. E empresário algum vem para o município a fim de se instalar. Falta uma equipe técnica para elaboração de um projeto sério, segundo ele.

A administraçção pública tem que ser sentida como de resultado, defende o vereador.

Prosseguindo, Filipe Costa afirmou que, “gostem ou não”, o governo Bolsonaro é eficiente, com resultados positivos, e deveria servir de modelo.

Ao final do programa de Aníbal Gonçalves, Filipe Costa respondeu a questionamentos dos ouvintes. (Foto: Reprodução)

Clique para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Visitadas

Topo