Saúde e Beleza

Hepatites virais: vacinação e tratamento

Publicado em

No Dia Mundial de Luta contra as Hepatites Virais, celebrado ontem (28/07/20), o Ministério da Saúde alertou para a importância da prevenção no combate às hepatites no SUS, com diagnóstico oportuno por meio de testes rápidos e tratamento. Os tipos mais comuns no Brasil são as hepatites A, B e C, sendo que as duas últimas costumam se manifestar sem sinais e sintomas, até atingir maior gravidade.

A hepatite A costuma ocorrer pela ingestão de alimentos mal lavados ou por más condições de saneamento. Na maioria dos casos, é uma doença benigna; contudo, o curso sintomático e a letalidade aumentam com a idade do paciente. A vacinação é garantida no SUS, recomendada a aplicação em crianças entre os 15 meses de idade até cinco anos incompletos.

A hepatite B, na maioria dos casos, não tem cura. A doença costuma se manifestar sem sinais e sintomas, até atingir maior gravidade. A principal medida de prevenção é a vacina, altamente eficaz e disponível para todas as pessoas no SUS desde 2015.

Estima-se que mais de 400 mil pessoas convivem com a hepatite C, e ainda não sabem. Para esta, ainda não existe vacina. Mas, como a hepatite B pode ser prevenida com cuidados simples. As duas doenças podem ser transmitidas por meio de relação sexual desprotegida. Portanto, usar camisinha é uma medida de prevenção. Além disso, podem ser transmitidas pelo contato com sangue contaminado durante procedimentos estéticos ou de saúde sem os devidos cuidados. (Fonte: Natália Monteiro/Agência Saúde – Foto: PMF/Reprodução)

Clique para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Visitadas

Topo