Economia

MEI que mais cresceram e os que estão à beira da extinção

Publicado em
Sapateiro, uma profissão em franca expansão

As principais mudanças ocorridas no perfil das atividades empresariais do microempreendedor individual (MEI) durante a pandemia foram analisadas pelo Sebrae-MG. Apesar do saldo geral positivo de mais de 204 mil MEI entre março do ano passado e março deste ano, um crescimento de 19% no período, algumas atividades cresceram muito com as medidas de restrição adotadas, enquanto outras sofreram bastante e, em alguns casos, estão à beira da extinção.

O levantamento mostra que as atividades relacionadas a transporte de pessoas e mercadorias (serviços de aplicativo) e a venda de peças e acessórios para motocicletas estão entre as que mais cresceram no período. Em sentido oposto, a maior retração de registros de MEI durante a pandemia foi em atividades obsoletas, a exemplo de locação de DVD e fitas de vídeo, ou fortemente impactadas pela pandemia, como é o caso dos profissionais que trabalham com transporte escolar independente.

“Os dados confirmam o ajustamento do mercado à realidade imposta pela pandemia, que demandou mais serviços de delivery com o fechamento de boa parte dos estabelecimentos comerciais, e impactou em cheio outras atividades, como as demandadas pelo setor de eventos ou que já estavam defasadas” – explica Afonso Maria Rocha, superintendente do Sebrae Minas.

Atualmente, Minas Gerais tem 1.358.943 MEI, contingente que representa 63% dos pequenos negócios do estado.

EM EXPANSÃO

Motorista de aplicativo independente (crescimento de 114%), comerciante de peças e acessórios usados para motocicletas (106%), entregador de malotes independente (89%), proprietário de bar, com entretenimento (86%), serviço de preparação de terreno, cultivo e colheita (63%), editor (a) de vídeo independente (55%), fabricante de calçados de couro independente (52%), clicherista independente (50%), digitador independente (46%), proprietário de restaurante independente (42%).

EM RETRAÇÃO

Proprietário de fliperama independente (redução de 7%), locador(a) de fitas de vídeo, dvds e similares (5%), comerciante de discos, cds, dvds e fitas (5%), transportador escolar independente (4%), locador de palcos, coberturas e outras estruturas (2%).

Nota: Foram desconsideradas atividades com menos de 10 representantes, no início ou no final do período. (Fonte e foto: Sebrae-MG/Portal do Empreendedor)

Clique para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Visitadas

Topo