Cidade e Região

Procurador nega habeas corpus ao prefeito de T. Otôni

Publicado em

O procurador regional eleitoral do Ministério Público Federal em Minas Gerais, Ângelo Giardini de Oliveira, manifestou-se contrariamente à concessão do habeas corpus impetrado pelo prefeito Daniel Sucupira diante do processo criminal que envolve, além dele, o empresário Ricardo Rivelino Bispo, e ainda relacionava o ex-vice-prefeito José Roberto Corrêa, já falecido.

A conclusão pela denegação foi expedida na última terça-feira (27/04/21), mas somente ontem foi levada ao conhecimento da imprensa.

O CASO

O affaire começou em virtude de José Rivelino Bispo ter, segundo narrativa dele próprio, emprestado dinheiro para o ex-vice-prefeito José Roberto Corrêa empregar na campanha eleitoral dele e de Daniel Sucupira.  O dinheiro fora desviado da construção de um prédio, do qual os apartamentos haviam sido vendidos pelo empresário.

Bispo alega que não recebeu o empréstimo de volta, razão pela qual não concluiu  os apartamentos. A compradora de uma das unidades, Nilma Eler Rodrigues, então, provocou a abertura de inquérito policial contra José Rivelino Bispo, pela prática de estelionato.

O envolvido no inquérito, então, informou que não concluira os prédio porque lhe faltara o dinheiro que emprestara.

Abriu-se, na sequência, processo criminal eleitoral contra José Roberto Corrêa, o que veio a envolver também o titular da chapa, Daniel Sucupira.

O processo viajou entre as Justiças Criminal e Eleitoral, encontrando-se atualmente no Tribunal Regional Eleitoral, onde o habeas corpus foi impetrado. (Fonte: TRE-MG – Foto: FAAP)

Clique no link abaixo e veja o documento na íntegra.

https://pje.tre-mg.jus.br:8443/pje-web/Processo/ConsultaDocumento/listView.seam?x=21042720281739600000048252419

Clique para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Visitadas

Topo