Cultura

Professor tarado é indiciado por aula obscena

Publicado em
“Professor” dá e escreve no quadro escolar tema e linguagem impróprios para crianças

A Polícia Civil do Distrito Federal deverá apresentar ao Ministério Público o inquérito conclusivo contra o professor de Português Wendel Santana, de 25 anos. Ele deu aulas, como professor substituto, para o 6º ano do Centro de Ensino Fundamental (CEF) 104 Norte. As aulas abordaram conteúdos obscenos, como “boquete” e “69”. A Polícia ouviu o professor, alunos, pais e diretoria da escola.

O professor submeteu crianças a vexame ou a constrangimento, crime previsto no Artigo 232 do Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), com pena que vai de seis meses a dois anos de prisão.

Se o Ministério Público também entender que houve crime, deverá apresentar denúncia à Justiça.

Há pessoas que têm obsessão pela imoralidade. E tais pessoas, em lugar errado, como uma classe de aula, provocam grandes desastres, como é o caso do Wendel Santana. Esse “professor” deveria ser banido pelo resto da vida da área de ensino, pois está mais para tarado que para mestre.

O CRIME

Wendel Santana deu aulas por apenas 20 dias, como substituto. Nesse curto tempo, provocou uma terrível lesão nos alunos. No quadro, ordenou: “Escrever sobre polidez e transformações afetivo-sexuais na adolescência. Sexo oral, penetração e preliminares”.  Em novembro, foi denunciado.

Segundo se apurou, Santana ainda teria convidado uma menina e um menino para irem à frente da classe para explicar como seria o toque nos órgãos genitais.

As crianças se assustaram, provocando a recusa de algumas em assistir à aula. (Foto: Reprodução)

Clique para comentar

Deixe uma Resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais Visitadas

Topo